Ginecologia e Obstetrícia

Como prevenir a candidíase

Por fevereiro 20, 2018 1 comentário
candidiase

A candidíase é uma infecção vaginal causada por um fungo chamado Candida sp. Ele faz parte do organismo feminino naturalmente, mas em pequenas quantidades. Quando algum fator, seja ele psicológico ou externo, como o uso de determinada medicação, por exemplo, desregula o habitat desse microrganismo, ele se prolifera e dá origem ao problema.

Trata-se de uma doença muito comum e frequente. Pesquisas indicam que 75% das mulheres a desenvolverão em alguma fase da vida, sendo que 5% destas terão episódios recorrentes, ou seja, três ou mais vezes por ano. Por isso, é essencial saber como prevenir a candidíase.

É preciso frisar que ela não é uma doença sexualmente transmissível, mas pode ser transmitida por meio do contato sexual entre as genitálias e a boca. Isso porque os homens também possuem o fungo e, portanto, podem ter sua quantidade alterada.

Apesar de possuir sintomas um pouco desagradáveis, é muito simples tratá-la. Ou, melhor ainda: sabendo como prevenir a candidíase, é possível evitar que ela apareça e, assim, ter uma vida mais saudável e sem desconfortos.

O que pode causar a candidíase

O pH normal da vagina é ácido (por volta de 4,0), ideal para a proliferação dos bacilos de Doderlein (ou lactobacilos) que fazem parte da proteção da vagina. Alteração no pH ou diminuição dos lactobacilos podem gerar a proliferação de outros microrganismo, no caso do pH mais ácido prolifera-se a Candida.

Durante a menstruação ou logo antes dela são situações que o pH pode favorecer esta infecção.

Outra situação de risco para a candidíase é quando o organismo está debilitado e com baixa imunidade. Nestes casos, além do HIV, que naturalmente enfraquece o sistema imunológico, doenças crônicas como diabetes descompensada,  períodos de estresse, traumas e até gestação podem ser considerados agentes causadores.

Além disso, o uso de alguns medicamentos, como antibióticos, também pode influenciar a multiplicação do fungo. Fique atenta!

Nosso corpo “fala”, por isso qualquer sinal de infecções recorrentes como no caso da candidíase é de extrema importância fazer uma avaliação geral do corpo para descobrir a real causa.

Principais sintomas

Ainda que a Candida já esteja presente na flora vaginal saudável, os sintomas apenas se manifestam quando ocorre a proliferação, ou seja, no momento em que algum fator aumenta sua quantidade no organismo.

Os indícios dessa alteração são diversos e variam de pessoa para pessoa. A maior parte das mulheres apresenta coceira na região íntima, ardência próximo à entrada da vagina, leve inchaço dos lábios vaginais e um corrimento espesso, branco ou amarelado (aparenta leite coalhado).

Eventualmente, a infecção pode causar dor ao urinar, o surgimento de feridas na área da vagina e forte desconforto durante a relação sexual. Ainda, a candidíase pode ser confundida ou aparecer em conjunto com processos alérgicos ou irritativos da região genital.

Como diagnosticar e tratar a candidíase

Apesar de os sintomas da candidíase poderem ser confundidos com os de outras infecções, ela pode ser rapidamente diagnosticada no exame físico no consultório ou através de uma avaliação da secreção vaginal por microscopia.

Por isso, sempre que você notar qualquer anormalidade, é importante procurar um médico ginecologista imediatamente. Só ele pode realizar o exame e, consequentemente, chegar ao resultado correto.

O tratamento é bastante simples, principalmente em casos leves e moderados da doença. Uma única dose de medicamento antifúngico oral ou a aplicação de uma pomada específica por alguns dias costuma solucionar o problema.

Situações mais graves e recorrentes exigem terapias a longo prazo, mas, de qualquer forma, apenas um médico saberá qual é a melhor alternativa para cada paciente.

Como prevenir a candidíase

Há algumas dicas bastante úteis para evitar a proliferação do fungo Candida e, consequentemente, o aparecimento da infecção. A partir de pequenas mudanças de hábito, seja em questões de higiene ou psicológicas, é possível obter uma melhor qualidade de vida.

Veja algumas orientações sobre como prevenir a candidíase:

  • não usar calças e roupas íntimas muito justas;
  • preferir calcinhas de algodão ao invés das de tecido sintético;
  • na praia e na piscina, não ficar com o biquíni molhado no corpo por muito tempo;
  • utilizar preservativo durante as relações sexuais;
  • não aplicar produtos perfumados na região íntima (cremes, desodorante e até absorventes com cheiro);
  • trocar o absorvente interno ou externo com frequência;
  • limpar-se seguindo a direção da frente para trás quando for ao banheiro;
  • usar apenas água e sabonete neutro para lavar a região íntima (sempre somente a parte externa da vagina);
  • não realizar duchas intravaginais;
  • controlar doenças existentes como diabetes por exemplo;
  • adotar um estilo de vida mais saudável, fugindo de situações de estresse, boa dieta, exercícios físicos e boa qualidade de sono para manter o sistema imunológico fortalecido.

Lembre-se de que os fungos gostam de ambientes quentes e úmidos, então, é fundamental não proporcionar isso a eles. Dessa forma, você evita que a doença se torne um problema recorrente.

Não esqueça de procurar um profissional qualificado e de sua confiança para receber mais orientações sobre como prevenir a candidíase. Somente um médico ginecologista poderá realizar o diagnóstico correto e indicar o tratamento mais eficaz para o seu caso.

Guia da Mulher Adulta Download Powered by Rock Convert
Lilian Fiorelli

Lilian Fiorelli

Formada pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP). Fez residência médica em Ginecologia e Obstetrícia no Hospital das Clínicas da FMUSP, onde também se especializou em Uroginecologia e Sexualidade Humana.

Um comentário

1
Olá! Posso te ajudar com alguma dúvida sobre agendamento de consultas?
Powered by