Ginecologia e Obstetrícia

Saúde da mulher: exames indispensáveis no check-up

Por novembro 20, 2018 Nenhum comentário
saúde da mulher

Em meio a uma rotina que, muitas vezes, envolve trabalho, cuidados com a casa e a família, é normal algumas mulheres deixarem um pouco de lado certos cuidados que são essenciais para garantir sua qualidade de vida.

Porém, quando se pensa em saúde da mulher, é fundamental criar ou retomar o hábito de realizar o check-up regular, ou seja, evitar procurar o médico somente quando surge algum sintoma anormal.

Isso porque os exames preventivos são a maneira mais eficiente de evitar o surgimento de doenças como HPV e câncer, ou então diagnosticá-las de forma precoce.

Abaixo, listamos quais os principais exames requisitados dentro das consultas de rotina que visam garantir a saúde da mulher a curto e longo prazo. Confira!

Benefícios de realizar o check-up periódico para a saúde da mulher

A realização do check-up periódico tem uma grande importância para a saúde da mulher. Nessas visitas de rotina, os médicos podem:

  • Orientar sobre a saúde como um todo e mais especificamente sobre doenças;
  • Realizar exames clínicos;
  • Requisitar exames específicos;
  • Minimizar rapidamente sintomas que possam surgir;
  • Oferecer tratamentos adequados e acompanhar de perto os resultados.

Dentro de tudo o que envolve o check-up, a realização dos exames periódicos ganha destaque porque possibilita que doenças sejam prevenidas ou, então, diagnosticadas precocemente.

Quando se pensa em saúde da mulher, principalmente no âmbito ginecológico, o quanto antes qualquer doença for descoberta, maiores são as chances de cura e menos doloroso é o tratamento.

Os principais exames que devem ser realizados anualmente

São diversos os exames preventivos que devem ser realizados anualmente. Há alguns que, apesar de não terem relação direta com os órgãos genitais, podem ser solicitados pelo próprio ginecologista. Afinal, eles são importantes para que se tenha um controle da saúde da mulher como um todo.

Dependendo do resultado, ele pode encaminhar para outro profissional, a fim de que seja realizado o tratamento adequado e em conjunto.

Exames de sangue e dosagens hormonais

Através do exame de sangue, é possível avaliar se os componentes do sangue estão normais ou alterados. São diversas análises que podem ser realizadas, como:

  • Controle da tireoide

Por meio dos exames TSH e T4 livre, é possível identificar se há algum distúrbio na tireoide, como o hipotireoidismo. A partir dos 30 anos, aumentam em três vezes as chances de as mulheres terem esse tipo de alteração.

Como ele não necessariamente é realizado todos os anos, é importante ficar atento aos sintomas, como queda acentuada de cabelo, enfraquecimento da unha, sonolência e dificuldade para perder peso.

  • Colesterol e triglicerídeos

As taxas de colesterol e triglicerídeos devem ser controladas independentemente da idade, pois elas influenciam diretamente a saúde da mulher. Em casos de obesidade, assim como após os 40 anos, o controle deve ser anual a fim de prevenir infartos e outros problemas mais graves no coração.

  • Testes de glicemia

O teste de glicemia nada mais é do que a análise da taxa de açúcar no sangue. Através dele, é possível diagnosticar desde diabetes até doenças crônicas.

A partir dos 45 anos, o ideal para a saúde da mulher é que ele seja realizado anualmente, assim como em casos de obesidade, sedentarismo e pessoas com altas taxas de colesterol e triglicerídeos.

Exames do coração

Realizar exames para analisar o funcionamento do coração é muito importante para a saúde da mulher. Quem apresenta fatores de risco cardiovasculares, como obesidade, pressão alta, sedentarismo ou histórico familiar, deve realizar um ou mais destes testes:

  • Eletrocardiograma: Possibilita diagnosticar problemas como arritmia cardíaca e obstrução nas artérias;
  • Teste ergométrico ou de esforço: Verifica alterações no ritmo cardíaco durante o esforço físico;
  • Ecodopplercardiograma: Através desse ultrassom do coração, são verificadas a anatomia e as funções do órgão, permitindo diagnosticar por exemplo  alterações nas válvulas.

Densitometria óssea

A partir dos 50 anos, é fundamental que haja um acompanhamento da saúde óssea, principalmente porque, com a redução na absorção natural do cálcio, é preciso prevenir o aparecimento de osteoporose.

Por se tratar de uma doença silenciosa, a indicação é que o exame seja realizado a cada dois anos e que haja um acompanhamento médico constante. Em casos de falta de tratamento adequado, uma simples fratura pode comprometer a qualidade de vida.

Exames de pele

Ao longo dos anos, a pele passa tanto por um envelhecimento natural quanto pode sofrer danos devido à falta de cuidados e exposição excessiva ao sol. Por isso, é fundamental realizar autoexames em casa, ou seja, olhar-se no espelho e analisar as manchas, pintas e marcas de expressão.

Em caso de alterações, é importante buscar apoio profissional para evitar que alguma delas se transforme em câncer de pele. O número de diagnósticos vem crescendo muito nos últimos anos, tornando necessário que os cuidados sejam redobrados.

Exames preventivos ginecológicos essenciais

Além dos exames gerais que medem a saúde da mulher como um todo, há aqueles que são mais específicos em ginecologia. Alguns deles devem ser realizados desde o início da vida sexual, enquanto outros passam a ser inseridos conforme a idade.

Eles são fundamentais para evitar o surgimento de diversas doenças que prejudicam a qualidade de vida. Muitas, quando não tratadas adequadamente, podem levar a problemas para engravidar e até à necessidade de retirada de determinado órgão.

Papanicolaou

O Papanicolaou é considerado um exame rápido e simples que deve ser realizado a partir dos 25 anos ou antes quando indicado. Deve ser feito anualmente mas em alguns casos o médico pode orientar até a cada 3 anos. É realizado preferencialmente em  mulheres que já tenham iniciado a vida sexual.

Através dele, é possível prevenir e diagnosticar doenças diversas, como:

  • Câncer no colo do útero;
  • Neoplasias intraepiteliais;
  • Inflamações e infecções vaginais;
  • Doenças sexualmente transmissíveis (DSTs) como HPV

No Papanicolaou, é introduzido um espéculo para a visualização do colo do útero e inserida uma espátula especial para que sejam retiradas células para o posterior envio para análise em laboratório.

Normalmente, ele é indolor, mas algumas mulheres podem sentir alguns desconfortos durante o processo. Por isso, é fundamental o papel do ginecologista em fazer com que se sintam seguras e relaxadas.

Ultrassonografia transvaginal

A ultrassonografia transvaginal é um exame em que um pequeno aparelho introduzido na vagina produz ondas de som que são transformadas pelo computador em imagem. Através dele, é possível visualizar os órgãos reprodutivos femininos, como útero, tubas uterinas, colo do útero e ovário, e verificar a presença de cistos, miomas entre outras alterações..

Ela costuma ser indicada principalmente a partir dos 30 anos, visto que, nessa idade, pode aumentar a frequência de miomas e outras doenças na região íntima; mas suas realizações pode ser indicada antes dessa idade.

Mamografia

A mamografia é fundamental para a saúde da mulher, visto que tem como principal objetivo detectar de forma precoce o câncer de mama.

Este exame costuma ser indicado a partir dos 40 anos, exceto em casos de histórico da doença na família ou outras situações de risco (nessas situações, pode ser antecipado para até antes dos 35 anos).

A mamografia é considerada por muitas mulheres um exame dolorido. Isso porque o seio é pressionado pelas duas placas do mamógrafo para que as imagens sejam registradas. Como a mama é muito sensível, apesar de o processo durar somente alguns segundos, ele pode gerar bastante desconforto.

Ultrassonografia da mama

Para mulheres mais jovens, o exame que substitui a mamografia é a ultrassonografia da mama. Ele pode ser solicitado após o exame clínico, que consegue diagnosticar através do toque a presença de nódulos e tumores que já tenham atingido o tamanho de um centímetro, ou como forma preventiva.

Trata-se de um exame não invasivo e indolor em que é possível visualizar a estrutura interna da mama através do uso de um aparelho que trabalha com ondas sonoras de alta frequência.

Além da presença de nódulos, a ultrassonografia torna visível a existência de cistos, secreções nos mamilos, espessamento do tecido mamário, entre outras alterações. Conte com um profissional de confiança

Sabendo da quantidade de exames preventivos importantes para garantir a saúde da mulher, é fundamental contar com um profissional competente e de confiança. Além de solicitar a realização de todos os testes e avaliar os resultados, ele possui um papel de orientação.

Por isso, é importante escolher um ginecologista que transmita confiança e segurança. Mais do que auxiliar na manutenção ou melhora da qualidade de vida, ele deve ser aberto ao diálogo.

Afinal, a saúde da mulher depende também da quantidade de informações que ela possui. Dependendo do resultado dos exames, ele pode indicar uma consulta com outro especialista, como um cardiologista ou endocrinologista.

Assim, com o check-up e os exames periódicos, garante-se maior disposição, a prevenção de doenças e uma melhor qualidade de vida.

Lilian Fiorelli

Lilian Fiorelli

Formada pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP). Fez residência médica em Ginecologia e Obstetrícia no Hospital das Clínicas da FMUSP, onde também se especializou em Uroginecologia e Sexualidade Humana.

1
×
Olá! Como a Alira pode te ajudar?