Ginecologia e Obstetrícia

Como diferenciar uma contração do parto de uma contração falsa?

contração falsa

É muito comum que, em determinada etapa da gestação, a mulher sinta algumas dores, fique com a barriga endurecida e tenha a impressão que se trata dos movimentos do parto. Na verdade, esse incômodo é chamado de contração falsa, de treinamento ou de Braxton-Hicks, cujo objetivo nada mais é do que começar a preparar o corpo para as contrações de verdade.

Para esclarecer dúvidas e evitar preocupações desnecessárias, explicaremos nesse artigo o que é a contração falsa. Também falaremos sobre os períodos mais comuns em que ela ocorre e, principalmente, listaremos as principais diferenças em relação à contração do parto. Boa leitura!

O que é contração falsa?

A contração falsa é um fenômeno que ocorre ao longo da gravidez em que os músculos do útero promovem o endurecimento da barriga por alguns segundos. Ela também é chamada de contração de Braxton-Hicks, em homenagem ao primeiro médico que falou a seu respeito, o inglês John Braxton Hicks.

Há diversas hipóteses a respeito da sua ocorrência. A primeira e mais difundida afirma que se trata de um treinamento do corpo para o trabalho de parto, ou seja, seria uma preparação para a chegada das contrações de expulsão.

Há, ainda, quem afirme que esses movimentos servem para facilitar o afinamento do colo do útero e, posteriormente, para a sua dilatação.

Seja qual for o objetivo, o que se sabe é que a contração falsa é algo muito comum e natural da gestação e faz parte de um processo necessário para que a mulher esteja com o corpo pronto para o momento do parto.

Quando essas contrações começam a ocorrer?

Normalmente, é em torno da 20ª semana de gravidez que a mulher começa a sentir essa contração falsa. Fisiologicamente falando, ela inicia no momento em que o útero atinge uma altura significativa e, com isso, começam os treinamentos uterinos visando o momento do parto.

Os principais indícios da sua existência são:

  • Endurecimento da barriga;
  • Sensação de aperto na barriga e nas costas;
  • Breve falta de ar;
  • Leves pontadas na vagina.

Apesar do nome desse fenômeno remeter à dor, há mulheres que passam a gestação toda sem nem notar a sua existência. Isso porque o normal é que ele seja algo indolor e que gere somente alguns desconfortos breves dependendo da posição em que a mulher se encontra.

Em média, as contrações de treinamento acontecem uma vez ao dia, podem durar de 40 segundos a 1 minuto e é comum que ocorram também após relações sexuais.

Como diferenciar a contração falsa da verdadeira?

Muitas gestantes de primeira viagem ficam temerosas a cada alteração que sentem na sua barriga. Por isso, selecionamos as características de cada um dos tipos de contrações para facilitar o entendimento e sua diferenciação. Confira!

1 – Contração falsa

  • Em média, não ocorre mais do que cinco vezes ao dia;
  • Normalmente ela cessa quando a mulher muda de posição ou a atividade que está realizando;
  • São irregulares e não costumam ter uma constância;
  • Não são longas, ou seja, duram menos que um minuto;
  • Não aumentam de intensidade com o tempo;
  • Pode afetar uma única parte da barriga;
  • Pode ser causado devido ao movimento ou posição em que o bebê se encontra;
  • Não tem ritmo nem regularidade, ou seja, tempo de intervalos variados e mesmo que ocorra em intervalos fixos por um tempo (de 15 em 15 minutos por exemplo), logo passa.

2 – Contrações de expulsão

  • São longas, ou seja, a barriga fica endurecida por mais tempo;
  • São ritmicas e regulares (intervalos fixos entre elas como de 15 em 15 minutos, 10 em 10 minutos);
  • Geram mais dor;
  • São constantes e ritmadas, e conforme passa o tempo vão ficando cada vez mais fortes e intervalos mais curtos;
  • Os sintomas não melhoram se a mulher muda de posição ou atividade;
  • As contrações não passam com medicações para cólicas a base de escopolamina;
  • Afeta a barriga toda e pode se estender para as costas;
  • Independem da movimentação ou posição do bebê.

É importante destacar que, conforme vai se aproximando o período do parto, as contrações falsas podem ficar mais intensas e passarem a vir acompanhadas de dor, dando a sensação errônea de ser verdadeira.

Porém, para diferenciar, basta atentar para a irregularidade em termos de intensidade, duração e frequência. Se elas desaparecem do nada, segue sendo somente alarme falso!

Como aliviar os incômodos da contração?

O primeiro passo para aliviar os sintomas da contração de treinamento é verificar em que situações elas ocorrem com mais frequência. Caso seja, por exemplo, após realizar alguma atividade física, mesmo que leve, basta sentar um pouco e deixar a adrenalina baixar.

Muitas mulheres relatam que quando se está com a bexiga muito cheia, é comum que as contrações surjam. Assim, o ideal é evitar chegar nesse ponto indo ao banheiro com mais frequência.

Outra dica muito útil é não ficar muito tempo em uma posição. Assim, basta alternar mais entre ficar de pé, sentada e deitada, além de dar leves caminhadas em casa para movimentar e relaxar um pouco os músculos.

Caso nada disso minimize os incômodos, outra alternativa é tomar um banho morno, que, além de proporcionar relaxamento, promove a redução nas dores.

Quando é preciso se preocupar com as contrações?

Como a contração falsa possui características fáceis de serem distinguidas, o momento para se preocupar é justamente quando surge algo fora desse contexto.

Caso os incômodos venham acompanhados de uma secreção vaginal parecida com água ou com sangue, há grandes indícios de rompimento da bolsa ou de haver a existência de algum problema com a placenta.

É preciso também estar atento ao ritmo das contrações. Elas deixam de ser de Braxton-Hicks caso surjam de 10 em 10 minutos ou então ocorram, dentro de uma única hora, seis episódios seguidos.

Caso os incômodos não passem, é importante sempre avaliação do médico, pois um dos diagnósticos diferenciais são infecções como infecção urinária por exemplo, que também pode gerar algumas dores e até contrações.

Além disso, lembre-se que a dor não é algo comum nesse tipo de contração. Portanto, caso ela surja com intensidade ou comece nas costas e irradie para a frente, é momento de procurar ajuda hospitalar porque o parto pode estar próximo.

——

Apesar de, na teoria, ser fácil distinguir entre contração falsa e a verdadeira, o melhor caminho ainda é contar com o acompanhamento de um ginecologista durante toda a gestação.

Isso porque além de toda a parte de orientação, o profissional costuma solicitar exames do pré-natal que são essenciais para garantir a saúde da mãe e do bebê. Com isso, é muito mais fácil esclarecer dúvidas, tranquilizar a mãe e, principalmente, evitar imprevistos.

Lilian Fiorelli

Lilian Fiorelli

Formada pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP). Fez residência médica em Ginecologia e Obstetrícia no Hospital das Clínicas da FMUSP, onde também se especializou em Uroginecologia e Sexualidade Humana.

1
×
Olá! Como a Alira pode te ajudar?