Ginecologia e Obstetrícia

As transformações hormonais na adolescência

Por novembro 7, 2017 Nenhum comentário
transformações hormonais na adolescência

A adolescência é um período de grandes descobertas e mudanças no corpo humano. Nessa fase, os hormônios tornam-se protagonistas e, assim, homens e mulheres passam da infância à vida adulta.

É perfeitamente normal que as transformações hormonais na adolescência gerem dúvidas. Afinal, as alterações corporais, nesse período, costumam ser os primeiros sinais notados por todos (principalmente pelo jovem que está passando por elas).

A seguir, explicaremos mais sobre as mudanças físicas e emocionais dessa etapa da vida.

Adolescência x puberdade

Em primeiro lugar, precisamos diferenciar as duas coisas. A confusão entre esses dois conceitos é bastante comum, mas puberdade e adolescência não têm o mesmo significado.

A adolescência compreende o período da vida (dos 10 aos 19 anos de idade, segundo a Organização Mundial da Saúde) em que uma pessoa se desenvolve antes de passar à fase adulta.

Já a puberdade está diretamente relacionada apenas às mudanças hormonais, físicas e ao surgimento das características sexuais. É dividida em três etapas: pré-puberdade, puberdade e pós-puberdade.

A pré-puberdade é o momento em que as emoções têm maior oscilação entre o amor e o ódio, e os sentimentos são confusos. É nessa fase, também, que há a busca de mais proximidade com adultos.

A puberdade em si é marcada pela maturidade dos órgãos reprodutores.

Por fim, a pós-puberdade, que vai aproximadamente dos 15 até os 19 anos, caracteriza-se por ser um momento em que não há mais tanta necessidade de ajuda adulta para estabelecer relações, cumprir responsabilidades e escolher uma carreira profissional.

Mudanças no corpo na adolescência

Os hormônios, na adolescência, trabalham a todo vapor. Por isso, as mudanças corporais acontecem muito rapidamente.

No sexo feminino, nota-se o afunilamento da cintura e o desenho de uma nova silhueta, deixando os traços da infância para trás. Os seios começam a crescer, o quadril se alarga e o corpo se enche de pelos (especialmente, na região genital e axilas).

Essas transformações físicas são seguidas pela menarca, a primeira menstruação. Ela costuma ser mais escura, com coloração marrom, e vir em pouca quantidade. Mas isso não é uma regra – varia de pessoa para pessoa.

É muito comum que, durante nos primeiros dois anos após a menarca, o ciclo menstrual seja irregular. Afinal de contas, o aparelho reprodutor feminino que acabou de ter sua primeira menstruação ainda é muito imaturo.

Os hormônios folículo-estimulante (FSH) e luteinizante (LH) começam a ser produzidos nesse momento. Nas mulheres, o FSH atua na produção de óvulos pelos ovários e consequente produção do estrogênio, e o LH atua na ovulação. No corpo masculino, o objetivo é a produção de espermatozóides e de testosterona, respectivamente. O estrogênio é o hormônio responsável pelas características sexuais femininas, já a testosterona pelas masculinas.

Falando do sexo masculino, a mudança de tom de voz e o crescimento de pelos pubianos e do pênis são as primeiras mudanças notadas. O pênis agora passa a ter ereção e ejaculação.

A acne também é um sintoma comum na adolescência e que pode ser observado em ambos os sexos, juntamente com o aumento da estatura e da massa corporal, dois aspectos resultantes de uma maior produção do hormônio do crescimento.

Bagunça emocional

Assim como os hormônios, as emoções também são mais intensas, o que torna o processo ainda mais delicado. Ataques de rebeldia, baixo rendimento escolar, mudança de comportamento para se enquadrar em grupos e, principalmente, afastamento dos pais são aspectos que mostram como os sentimentos são altamente afetados por essa transição.

Nessa fase, o estresse pode ficar mais acentuado, uma vez que existe uma cobrança ainda maior por um bom comportamento. Fatores externos como relacionamentos, amizades e notas escolares também podem desencadear essa exaustão.

Alguns adolescentes podem desenvolver obesidade por conta disso, já que o estresse está ligado ao aumento na produção de cortisol, hormônio que contribui para o ganho de peso quando em concentrações muito altas.

Como identificar um desequilíbrio hormonal na adolescência

Tudo o que citamos acima são ocorrências consideradas normais durante essa fase. No entanto, a alta produção de hormônios na adolescência também pode sair um pouco de controle. Por isso, é importante estar atenta aos sintomas que possam indicar eventuais desequilíbrios hormonais e buscar ajuda. São eles:

queda no rendimento escolar;
acne em demasia;
ansiedade;
pensamentos suicidas e depressão;
irritabilidade;
obesidade;
alterações na tireoide;
agressividade exagerada;
sonolência excessiva;
dores de cabeça frequentes.

A adolescência é um período complicado para o jovem e para todos ao seu redor. Por isso, todo apoio e compreensão dos pais, familiares e professores são bem-vindos para que essa transição seja saudável e o mais tranquila possível.

Guia da Mulher Adulta Download Powered by Rock Convert
Lilian Fiorelli

Lilian Fiorelli

Formada pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP). Fez residência médica em Ginecologia e Obstetrícia no Hospital das Clínicas da FMUSP, onde também se especializou em Uroginecologia e Sexualidade Humana.

1
Olá! Posso te ajudar com alguma dúvida sobre agendamento de consultas?
Powered by