Ginecologia e Obstetrícia

Miomas uterinos: o que são, quais sintomas causam e como é o diagnóstico?

Miomas uterinos

O que são miomas uterinos?

Miomas uterinos são nódulos constituídos principalmente de tecido fibroso e tecido muscular uterino. Representam o tumor pélvico benigno mais frequente em mulheres. Aparecem com mais frequência em mulheres a partir dos 30 anos até a idade próxima a menopausa, mais também podem surgir em pacientes mais jovens, entre 20 a 30 anos.

Estudos populacionais mostram que até 50% das mulheres apresentam pelo menos um mioma uterino, podendo chegar a até 80% das mulheres em populações mais específicas. A origem e o desenvolvimento do mioma ainda são pouco conhecidos. Sabe-se que seu crescimento sofre influências hormonais e genéticas.

O crescimento do mioma geralmente é lento, ao longo de meses e anos, até a idade da menopausa, quando os mesmos tendem a diminuir devido a redução da produção hormonal característica desse período.

Ainda hoje o mioma é a principal indicação de histerectomia (cirurgia para retirada do útero) no mundo, e causa grande impacto na saúde e na qualidade de vida das mulheres.

Sintomas

Muitas pacientes com miomas uterinos são assintomáticas, e boa parte dessas pacientes não sabem da presença desses nódulos em seu útero. Os sintomas causados pelos miomas dependem de dois principais fatores: localização e tamanho. Os miomas apresentam três principais localizações no útero:

  • na parte interna, chamados de miomas submucosos
  • na parte do meio, chamados de miomas intramurais
  • na parte externa, chamados de miomas subserosos

Os tipos de miomas que mais frequentemente causam sintomas são os submucosos e intramurais.

Os sintomas mais comumente associados a eles são cólicas menstruais intensas, aumento importante do fluxo menstrual e anemia. Além disso esses dois tipos de mioma também são os que mais comprometem a fertilidade da mulher, por interferir na anatomia do útero, nas contrações e na capacidade do embrião implantar na sua parte mais interna.

Os miomas subserosos geralmente não causam nenhum sintoma, a não ser nos casos de miomas grandes e volumosos. Nesses casos, a compressão do mioma sobre os outros órgãos pélvicos pode causar dor pélvica crônica, alterações urinárias como aumento da frequência urinária, obstipação intestinal, aumento do volume abdominal e dor na relação sexual. Independente da localização do mioma, quanto maior seu tamanho, mais intensos os sintomas.

Diagnóstico

O diagnóstico do mioma uterino pode ser feito já no exame físico ginecológico, em casos de miomas um pouco mais volumosos, pelo aumento do volume do útero. Eventualmente é possível palpar o mioma por via abdominal, mas geralmente esses são casos de pacientes que ficam muitos anos sem ir ao seu ginecologista. Contudo, a forma mais comum do diagnóstico, principalmente nos casos de miomas pequenos, é através da Ultrassonografia Transvaginal.

Por esse exame, os miomas geralmente são facilmente identificados quanto a sua localização e tamanho. Em alguns casos, a Ressonância Magnética é fundamental para determinar com maior precisão o número e localização dos miomas, principalmente nos casos em que será programada o tratamento cirúrgico.

A Ressonância porém é um exame de acesso mais restrito, devido a complexidade do exame e necessidade de contraste venoso. Ainda sim, o diagnóstico de certeza de que um nódulo no útero é de fato um mioma uterino é através da biópsia após a cirurgia. Isso porque um câncer de útero pode se assemelhar a um mioma uterino. Câncer desse tipo é raro, corresponde a aproximadamente 0,2% de todos os casos operados por suspeita de mioma uterino.

Portanto, frente a sintomas como piora das cólicas menstruais, aumento do fluxo menstrual, dentre outros sintomas acima mencionados, recomenda-se que procure seu médico ginecologista para uma avaliação e orientação. Frente ao diagnóstico de mioma uterino, seu médico passará o tratamento mais indicado para seu caso. Se você já souber de um mioma, é importante que mantenha o acompanhamento anual para acompanhar o crescimento do mioma pré-existente, e para avaliar o aparecimento de outros.

Dr Tomyo Arazawa CRM 120.351

Guia da Mulher Adulta Download Powered by Rock Convert
Dr. Tomyo Arazawa

Dr. Tomyo Arazawa

Me formei em Medicina na Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP). Após a faculdade, fiz Residência Médica e especialização e Ginecologia e Obstetrícia no Hospital das Clínicas da FMUSP. Fui Médico Preceptor (chefe dos residentes) da Disciplina de Ginecologia da FMUSP logo após o término da residência médica. Me especializei em cirurgias minimamente invasivas, tais como cirurgias laparoscópicas, histeroscópicas e cirurgias robóticas. Hoje minha dedicação está voltada a atenção, assistência e estudos a pacientes com dor pélvica e especialmente endometriose.

1
Olá! Posso te ajudar com alguma dúvida sobre agendamento de consultas?
Powered by