Ginecologia e Obstetrícia

Mito ou verdade: grávidas podem pintar o cabelo?

Por fevereiro 21, 2018 Nenhum comentário
grávida pode pintar o cabelo

Ao longo da gestação, surgem diversas dúvidas e pesquisas inconclusivas sobre o que afeta ou não, efetivamente, a saúde do bebê. Dentre elas, uma muito comum entre as mulheres é se, afinal, grávidas podem pintar o cabelo.

A resposta mais correta seria que, apesar de isso não ser totalmente proibido, o ideal e menos arriscado é evitar qualquer tipo de tintura (ao menos nos três primeiros meses de gestação).

Em tese, muito pouco da química desses produtos é absorvido pelo corpo. Porém, há alguns componentes fortes que podem gerar reações adversas e causar, sim, complicações, mesmo que somente para a futura mamãe.

Abaixo, vamos explicar tudo sobre a questão que envolve gravidez e tonalizantes, a fim de prevenir problemas desnecessários nesse período.

Recomendações médicas

Apesar de não existirem relatos concretos de casos em que a tintura de cabelo tenha provocado mudanças na gestação, os médicos costumam priorizar a precaução. Afinal, todo o cuidado é pouco nessas situações.

Por isso, a recomendação geral é, pelo menos no primeiro trimestre de gravidez, não utilizar nenhum tipo de tinta. É nessa fase em que há maior formação de tecidos e órgãos do bebê. Portanto, tende a ser o momento mais crítico e propenso a abortos.

Algumas hipóteses, inclusive, indicam que o contato com substâncias químicas, nesse período, pode alterar o DNA e modificar as informações genéticas da criança.

Dessa forma, para fins de segurança, reforçamos que a sugestão é que se fique longe de tinturas, no mínimo até a 20ª semana.

Concluída essa etapa, a mulher pode buscar auxílio médico para verificar que tipos de tonalizante e quais modos de aplicação ela poderá adotar no restante de sua gestação.

Por que a tinta pode ser prejudicial?

Independentemente da fase da gravidez, é importante ficar atenta ao rótulo dos produtos, pois aí é que se encontram os nomes dos grandes vilões.

Grande parte das tintas usadas para colorir os cabelos possui, em sua composição, substâncias como amoníaco, benzeno e formol.

Esses elementos químicos podem ser absorvidos pela pele, cair na corrente sanguínea, ultrapassar a barreira da placenta e, consequentemente, prejudicar o bebê.

Assim, apesar de nem todas as tinturas serem feitas à base desses ingredientes, a orientação geral é evitar aplicá-las, qualquer uma delas, muito próximo à raiz.

Vale frisar, porém, que a restrição não é somente para procedimentos de coloração, mas para qualquer tratamento, como alisamento ou permanente. Estes, inclusive, costumam ser abolidos durante todo o período gestacional, pois contam com uma química ainda mais agressiva que a presente nas tintas.

Dentre os componentes mais perigosos, destaca-se o formol, que é altamente tóxico e cancerígeno. Essa substância pode atrapalhar o desenvolvimento do bebê, causando, por exemplo, malformação e outras anomalias.

Produtos alternativos: gravidez e tonalizantes

Uma boa alternativa para as mulheres que não conseguirão esperar os nove meses de gravidez para retocar o cabelo são os tonalizantes. Devido à sua constituição, eles são menos prejudiciais do que as tinturas, além de permanecerem menos tempo nos fios.

Outra sugestão é buscar produtos naturais, como a tinta de hena ou versões 100% vegetais, que não possuem elementos químicos.

Fazer luzes ou reflexo também é mais indicado, principalmente se for de touca, para que a tintura não fique em contato direto com a raiz.

Após a escolha do método, é importante, ainda, ter alguns cuidados, independentemente de a coloração ocorrer em casa ou no salão.

As principais dicas para utilizar tonalizantes na gravidez com segurança são:

-pinte o cabelo em local bem ventilado, para não se expor demais aos vapores químicos durante a aplicação;
-siga sempre as instruções do fabricante, deixando a tinta nos fios pelo tempo mínimo recomendado;
-use luvas ao manusear o produto;
-enxague muito bem a cabeça depois que terminar.

Cada caso é um caso. Consulte seu médico!

Se você ainda tem dúvidas se grávidas podem pintar o cabelo, ou está se perguntando se deve mesmo fazer isso, a melhor resposta é: depende. Por ser uma questão que suscita opiniões divergentes, o ideal é que a mulher consulte seu médico ginecologista para que ele avalie seu quadro em específico.

E o mais importante: siga as orientações que ele fornecer, jamais se baseie em situações vividas por parentes ou amigas.

Lembre-se de que a gestação dura somente nove meses. Então, se for necessário, para o seu bem e o do bebê, não misture tonalizantes e gravidez.

Guia da Mulher Adulta Download Powered by Rock Convert
Lilian Fiorelli

Lilian Fiorelli

Formada pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP). Fez residência médica em Ginecologia e Obstetrícia no Hospital das Clínicas da FMUSP, onde também se especializou em Uroginecologia e Sexualidade Humana.

1
Olá! Posso te ajudar com alguma dúvida sobre agendamento de consultas?
Powered by