Ginecologia e Obstetrícia

Distúrbios hormonais em mulheres adultas

distúrbios hormonais

Os hormônios são responsáveis por grande parte do funcionamento de nosso corpo e atuam, principalmente, no trabalho das células. Muitos deles têm relação direta com a saúde reprodutiva da mulher e até com o humor, por exemplo. Por isso, sua sensação de bem-estar pode ser alterada positiva ou negativamente dependendo da situação hormonal em que seu organismo se encontra.

Neste texto, nosso objetivo é transmitir as informações necessárias para que você possa identificar os sinais de um desequilíbrio hormonal e, então, se for o caso, procurar ajuda médica especializada. Acompanhe!

Como identificar um desequilíbrio hormonal

Várias condições podem afetar a produção de hormônios em nosso organismo: gravidez, menopausa, pílulas contraceptivas, problemas de tireoide, diabetes e até o próprio ciclo menstrual.

Fatores externos, como a rotina de sono, o estilo de vida, a alimentação e o estresse, também têm um grande peso sobre os níveis hormonais.

Alguns sintomas que podem indicar desequilíbrio hormonal são:

1. Aumento de peso

Está bastante ligado aos distúrbios hormonais, principalmente às alterações na tireoide. Isso acontece porque os portadores de hipotireoidismo têm o metabolismo mais lento. Em alguns casos, mesmo com a prática regular de exercícios físicos e uma alimentação balanceada, a perda de massa corporal ainda é muito demorada. A retenção de líquido também ajuda a aumentar o peso na balança.

2. Insônia

Estresse, problemas no trabalho, decisões importantes, falta de tempo. Tudo isso pode te impedir de dormir durante a noite. Se nenhum desses fatores (ou outros desse tipo) se aplica ao seu caso e, ainda assim, você esteja sofrendo de insônia, pode ser que haja algum distúrbio hormonal se manifestando.

Algumas alterações na tireoide podem ser as causadoras da falta de sono. A queda dos níveis de estrogênio, recorrente na menopausa, também pode ter influência.

3. Acne

A testosterona é responsável pela produção excessiva de sebo na pele, deixando-a mais oleosa e com maior tendência à acne. Quanto maior for a taxa desse hormônio no organismo feminino, mais espinhas surgirão em seu rosto e costas.

4. Esquecimento

Altos níveis de cortisol, hormônio que tem sua produção estimulada pelo estresse, podem resultar em lapsos de memória e dificuldade de aprendizagem, além de causar aumento de peso, osteoporose e menstruação irregular.

5. Oscilações de humor

Mulheres normalmente têm uma oscilação maior de humor devido ao ciclo menstrual e suas fases. Porém, se essas mudanças forem muito acentuadas e frequentes, podem estar relacionadas ao desequilíbrio dos níveis de progesterona e estrogênio.

O estrogênio é responsável por controlar as taxas de serotonina, um neurotransmissor que proporciona sensação de felicidade e prazer.

A falta ou os baixos índices desse hormônio podem provocar choro fácil, mau humor, irritabilidade e tristeza, como ocorre no período pré-menstrual (com a famosa TPM), no pós-parto e no climatério (antes e depois da menopausa). Casos mais graves podem desencadear uma depressão.

6. Alterações menstruais

Passar longos intervalos de tempo sem menstruar, ter fluxos muito intensos ou, simplesmente, sofrer mudanças no padrão de menstruação podem ser sinais de alerta de que a parte hormonal não está bem!

Alterações nos hormônios da tireoide, na prolactina, no estrogênio e no cortisol são as possíveis causas.

Além disso, a mulher com um padrão menstrual irregular pode encontrar dificuldade para engravidar, já que esse é um indício de que ela não está ovulando.

Há, ainda, outros sintomas possíveis:

fadiga crônica;
ganho de peso;
secura vaginal;
perda de libido;
ondas de calor e suores noturnos.

Procure a ajuda de um profissional capacitado caso observe qualquer dos sintomas citados acima.

Para evitar o desequilíbrio hormonal feminino, é importante levar uma vida saudável, nunca deixar de realizar os exames de rotina e estar sempre atenta a qualquer mudança em seu corpo.

Ações simples que podem evitar ou amenizar alguns distúrbios hormonais

Uma boa alimentação pode ajudar a evitar desequilíbrios hormonais em situações como a TPM. Consuma produtos ricos em flavonoides: uva escura, alho, soja, brócolis e couve-flor são bons exemplos.

No pós-parto, recomenda-se um acompanhamento médico, principalmente para aquelas com histórico familiar ou que já tiveram depressão antes.

Na menopausa, quando os níveis de hormônios ovarianos tendem a ter uma maior oscilação, uma alternativa para evitar incômodos pode ser a reposição hormonal feita com medicamentos. Alimentos que podem ajudar, nesse caso, são a soja, o chá de folha de amora branca, o tomate, a aveia, o salmão e o iogurte.

Em geral, a prática de exercícios físicos, meditação e atividades prazerosas, para aumentar a serotonina, é indicada para diminuir os sintomas da TPM, da menopausa e do pós-parto.

Para evitar o desequilíbrio hormonal feminino, é importante levar uma vida saudável, nunca deixar de realizar os exames periódicos e estar sempre atenta a qualquer mudança em seu corpo.

Se gostou desse material continue acompanhando nossos conteúdos educativos!

Guia da Mulher Adulta Download Powered by Rock Convert
Dr. Tomyo Arazawa

Dr. Tomyo Arazawa

Me formei em Medicina na Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP). Após a faculdade, fiz Residência Médica e especialização e Ginecologia e Obstetrícia no Hospital das Clínicas da FMUSP. Fui Médico Preceptor (chefe dos residentes) da Disciplina de Ginecologia da FMUSP logo após o término da residência médica. Me especializei em cirurgias minimamente invasivas, tais como cirurgias laparoscópicas, histeroscópicas e cirurgias robóticas. Hoje minha dedicação está voltada a atenção, assistência e estudos a pacientes com dor pélvica e especialmente endometriose.

1
Olá! Posso te ajudar com alguma dúvida sobre agendamento de consultas?
Powered by