Dermatologia

Você já ouviu falar em ceratoses seborreicas?

A ceratose seborreica, também chamada de queratose ou verruga seborreica, é uma lesão arredondada ou oval que acomete tanto homens quanto mulheres a partir dos 30 ou 40 anos. Sua ocorrência é muito comum – inclusive, a estimativa é de que cerca de 90% dos adultos acima de 60 anos desenvolverão a condição, pelo menos, uma vez.

De característica benigna, a “verruga” não causa problemas à saúde. Porém, ela pode incomodar tanto por uma questão de aparência quanto de conforto (por ficar enroscando no tecido das roupas). A ceratose costuma aparecer, principalmente, no rosto e no tronco.

A boa notícia é que ela pode ser retirada facilmente, e há mais de uma alternativa de tratamento. Veja a seguir!

Como identificar uma ceratose seborreica

A ceratose seborreica surge sob a forma de uma “verruga” de coloração que varia do amarelado ao marrom ou negro. Inicialmente, ela é plana, mas pode tornar-se elevada e áspera. Em geral, tem formato arredondado ou oval, mas há casos em que suas dimensões são irregulares.

ceratose seborreica

A origem da ceratose seborreica é, unicamente, uma predisposição genética. Não existem, portanto, fatores externos, como sol ou alimentação, que possam levar ao aparecimento dessas lesões.

Quanto ao tamanho e à quantidade, não há um padrão, mas a tendência é que quem tenha uma  queratose seborreica desenvolva outras ao longo do tempo.

Sintomas da ceratose seborreica

A ceratose seborreica não vem acompanhada de qualquer tipo de sintoma. Por ser benigna, inclusive, não é necessário retirá-la ou mesmo realizar algum tratamento específico.

No entanto, quando estão localizadas em áreas que possuam contato com dobras de roupas, por exemplo, pode haver inflamação com coceira ou ardor. Nesse caso, o atrito constante leva a um trauma de repetição.

Apesar de, em geral, não causar desconforto físico, a “verruga” acaba gerando outro tipo de sintoma: o psicológico. Por instalar-se, quase sempre, justamente em lugares mais visíveis do corpo, a maior reclamação das pessoas em relação à ceratose seborreica é quanto à aparência.

Essa insatisfação pode ter como consequência uma baixa na autoestima, um sentimento de insegurança e outros problemas emocionais mais sérios. Por isso, é importante destacar que existem alternativas de tratamento, que devem ser consideradas logo que surgirem os primeiros incômodos.

ceratose seborreica

Como tratar as queratoses seborreicas

Por não representar risco à saúde, não há uma obrigatoriedade no tratamento da ceratose seborreica, como dissemos acima. Porém, se houver qualquer tipo de desconforto, é possível optar por um dos métodos disponíveis. São eles:

 

  • Cauterização química

 

É o termo técnico que indica a aplicação de algum ácido em lesões cutâneas visando a regeneração de tecidos. Durante as duas semanas seguintes ao procedimento, a pele atingida passa por alguns processos: primeiro, fica esbranquiçada ou amarelada, dependendo da substância que tenha sido utilizada. Depois, a área escurece e se enrijece, devido à morte das células. Por fim, a crosta de cicatrização é eliminada. A técnica é bastante eficaz, mas pode causar alguns efeitos, como leve ardor e irritação.

  • Crioterapia com nitrogênio líquido

Também conhecida como criocirurgia, é um método que trata verrugas através do frio. O nitrogênio líquido resfria a cútis rapidamente, alcançando até 196ºC negativos. Este congelamento leva à destruição dos tecidos e a uma posterior recuperação. Apesar do choque inicial que pode gerar, é um procedimento muito seguro e eficaz.

  • Curetagem

Nesta técnica, é usado um instrumento específico, a cureta, para raspar as lesões e removê-las. Para que o paciente não sinta dor, o médico pode administrar uma anestesia tópica, em casos de ação superficial, ou, então, realizar uma infiltração anestésica, quando a ceratose seborreica for maior.

  • Eletrocoagulação

Também chamada de eletrocirurgia, consiste na destruição do tecido celular utilizando uma corrente elétrica de alta frequência. Este método requer anestesia e pode ser associado à curetagem, para que a pele eletrocoagulada seja retirada. Após o fim do processo, o local permanece com uma crosta escura que vai sendo eliminada, gradativamente, com a cicatrização.

É importante salientar que a escolha da técnica mais recomendada em cada situação deve ser feita por um médico dermatologista. É ele quem irá avaliar as características da ceratose seborreica e, assim, indicar como tratar as “verrugas” da maneira mais eficaz.

Dra. Ana Paula Takeuchi

Dra. Ana Paula Takeuchi

Dra. Ana Paula Takeuchi é médica formada na Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP). Fez residência médica em Dermatologia no Hospital das Clínicas da FMUSP.

1
Olá! Posso te ajudar com alguma dúvida sobre agendamento de consultas?
Powered by