Dermatologia

Vermelhidão no rosto pode ser rosácea!

vermelhidão no rosto

A rosácea é uma doença de pele inflamatória que se desenvolve na parte central da face e que tem como principal característica o aspecto de vermelhidão no rosto.

Na maioria das vezes, ela afeta adultos entre 30 e 50 anos de idade. Apesar de as mulheres serem mais suscetíveis, os homens são os que sofrem os casos mais graves.

Inicialmente, a rosácea se manifesta como uma ruborização frequente, porém passageira. Após um período, a pele pode ficar mais sensível e, por isso, facilmente irritadiça a cremes e até a fatores ambientais, como poluição e vento.

Essa vermelhidão no rosto pode, com o tempo, tornar-se permanente e levar ao aparecimento de novas lesões.

Em situações mais extremas, pode ocorrer uma complicação chamada de rinofima, em que a cútis fica espessa e surgem nódulos inflamatórios que modificam o tamanho e o aspecto do nariz.

Apesar de não existir uma cura definitiva para a rosácea, é possível, com ajuda médica, tratá-la e amenizar os sintomas, devolvendo qualidade de vida ao paciente.

Principais causas da rosácea

vermelhidão no rostoNão há causas específicas vinculadas ao desenvolvimento da rosácea, o que dificulta, inclusive, o diagnóstico.

Porém, alguns fatores costumam estar ligados à sua manifestação, como problemas emocionais (principalmente o estresse e traumas psicológicos repentinos).

Acredita-se que a predisposição genética igualmente possa levar ao aparecimento dessa condição de vermelhidão no rosto. Isso pode estar relacionado tanto a uma questão familiar quanto étnica, visto que a doença é mais comum em peles claras e em descendentes de europeus.

Outras possíveis causas são:

  • alterações hormonais;
  • mudanças bruscas de temperatura;
  • excesso de exposição ao sol e de consumo de bebida alcóolica e de alimentos muito quentes;
  • uso de medicamentos vasodilatadores ou fotossensibilizantes.

Como tratar a rosácea?

Existem tratamentos eficazes para controlar ou mesmo reduzir os sintomas da rosácea. Eles variam conforme o estágio em que se encontra o problema.

Após o diagnóstico clínico ou a realização de uma biópsia para confirmar, o médico pode indicar uma das seguintes opções:

  • terapia tópica: para casos leves ou em fase inicial. Envolve a utilização de sabonetes e cremes especiais e o uso de filtro solar com alto fator de proteção contra os raios UVA e UVB;
  • tratamento sistêmico: a ingestão de antibióticos é prescrita em estágios médios ou quando não há melhora com a terapia tópica. A dosagem do medicamento vai depender dos sintomas que o paciente apresenta e de sua persistência;
  • procedimento dermatológico: em situações mais extremas e graves, pode-se utilizar laser, luz pulsada, eletrocirurgia, radiofrequência e dermoabrasão, dependendo do local afetado e dos indícios.

Prevenir é o melhor remédio!

Para que a rosácea nunca se manifeste e sua pele se mantenha bonita e saudável, é importante evitar os fatores de risco e mudar alguns hábitos.

Usar filtro solar, não lavar o rosto com água muito quente, não se expor muito ao sol e diminuir o consumo de álcool são apenas alguns exemplos de medidas de prevenção contra a vermelhidão no rosto.

Além disso, não aplique produtos com ácido e não faça esfoliação ou qualquer outro procedimento agressivo sem uma avaliação prévia e recomendação de um dermatologista.

Dra. Ana Paula Takeuchi

Dra. Ana Paula Takeuchi

Dra. Ana Paula Takeuchi é médica formada na Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP). Fez residência médica em Dermatologia no Hospital das Clínicas da FMUSP.

1
Olá! Posso te ajudar com alguma dúvida sobre agendamento de consultas?
Powered by