Seis fatores de risco que aumentam a chance de desenvolver problemas na tireoide

 In Cirurgia de Cabeça e Pescoço

A tireoide é responsável por produzir os hormônios que são como um combustível para o nosso corpo pois eles são responsáveis pela velocidade e pela performance com a qual o nosso organismo trabalha. Por isso, o seu correto funcionamento é fundamental para o nosso equilíbrio.

Embora não seja possível controlar todos os fatores que podem desencadear problemas nesta glândula, há alguns fatores que podem indicar maior probabilidade em desenvolver doenças na tireoide; desta forma, ficar atento ou evitá-los pode garantir melhor qualidade de vida. Veja abaixo alguns deles:

1. Histórico familiar

Este é um dos fatores de risco mais conhecidos em casos de problemas na tireoide, por isso, é importante fazer o acompanhamento preventivo caso haja algum exemplo na família.

2. Gênero

Por razões ainda não esclarecidas quase todas os problemas na tireoide têm aproximadamente três vezes maior incidência em mulheres do que em homens. O câncer de tireoide, por exemplo, pode ocorrer em qualquer idade, mas os picos de risco ocorrem antes para as mulheres, na maioria das vezes entre os 40 a 50 anos. Já para os homens, ele surge, geralmente, entre 60 a 70 anos.

3. Gravidez

A gestação ou parto recente podem aumentar o risco da doença, especialmente entre as mulheres que são geneticamente suscetíveis. Durante a gravidez, até mulheres que nunca tiveram qualquer problema na tireoide podem sofrer alterações nos níveis dos hormônios desta glândula. Isto acontece porque a imunidade do corpo da mulher fica alterada pela presença do bebê. Mas, apesar de toda grávida ter a tireoide afetada, na maioria das vezes, essa alteração fica dentro da normalidade. Portanto, devido as oscilações hormonais, os exames que avaliam a função da tireoide são fundamentais no acompanhamento pré-natal.

4. Idade

Conforme explicado acima, os problemas de tireoide apresentam maiores chances de desenvolvimento conforme avança a idade das pessoas.

5. Baixo consumo de Iodo / Excesso de Iodo

A falta de iodo no organismo pode ocasionar o hipotireoidismo, cujos principais sintomas são sonolência, pele seca, intestino preguiçoso, alteração do ciclo menstrual, entre outros.
Já, o excesso de iodo (consumo alto de sal iodado, principalmente em alimentos industrializados) está sendo considerado uma das causas de problemas na tireoide, como o câncer de tireoide, por exemplo. Porém, esta relação ainda não está definida. De qualquer forma, os excessos devem ser evitados.

6. Exposição à radiação

A exposição à radiação é um fator de risco comprovado para o câncer de tireoide. Em acidentes nucleares, como em Chernobyl (1986), houve grande liberação do iodo radioativo em uma dosagem excessiva e descontrolada. Anos após o acidente, pessoas expostas tiveram um índice elevado de câncer de tireoide. Além disso, as pessoas que possuem uma maior exposição a diversos tipos de radiações, como trabalhadores da área química, técnicos de radiologia e profissionais da área odontológica que realizam exames de raio-X sem as devidas proteções também são suscetíveis às transformações malignas nesta glândula.

É importante lembrar, contudo, que ter um fator de risco ou mesmo vários, não significa que você vai desenvolver problemas na tireoide. Muitas pessoas que apresentam algum problema na tireoide podem não estar sujeitas a nenhum fator de risco conhecido. O essencial é sempre procurar o médico quando sentir que algo não está funcionando bem em seu organismo.

*Dr. Jorge Kim é especialista em Cirurgia de Cabeça e Pescoço e em Doenças da Tireoide e Paratireoide. Possui Título de Especialista pela Sociedade Brasileira de Cirurgia de Cabeça e Pescoço (SBCCP) e atualmente é membro da equipe da Cirurgia de Cabeça e Pescoço do Instituto do Câncer do Estado de São Paulo (ICESP HC-FMUSP).

Recent Posts
câncer de cabeça e pescoçonodulos na tireoide