Dermatologia

Pele mais bonita: o que é possível melhorar com a dermatologia

pele mais bonita

A pele é responsável por proteger nosso organismo de substâncias e corpos estranhos, além de excretar toxinas e resíduos do metabolismo através das glândulas sebáceas e do suor. Os primeiros “incômodos” com a aparência desse órgão tão importante começam a surgir na adolescência, geralmente com o aparecimento de cravos e espinhas, e vão até a idade mais avançada, com as rugas e linhas de expressão.

Muitas mulheres decidem recorrer a procedimentos dermatológicos para minimizar esses desconfortos, aumentar seu bem-estar e sua confiança e deixar a pele mais bonita. Por isso, criamos uma lista das reclamações mais frequentes relacionadas à aparência e explicamos como cada uma delas pode ser resolvida. Acompanhe!

Como ter uma pele mais jovem?

Rugas e linhas de expressão

A movimentação constante e repetitiva dos músculos do rosto é uma da causas das linhas de expressão. Com o tempo, a pele perde elasticidade e plasticidade por causa de uma redução (em quantidade e qualidade) de colágeno no organismo. O ácido hialurônico é outra substância que começa a fazer falta, favorecendo, ainda mais, a formação de rugas.

A exposição ao sol sem proteção, uma má alimentação, noites mal dormidas e estresse contribuem para que essas marcas apareçam ainda mais cedo do que o esperado, embora a faixa etária não seja sempre um fator determinante. Em peles negras, por exemplo, a fibra colágena é mais densa e existe uma fotoproteção natural, dois aspectos que ajudam a retardar o processo de envelhecimento cutâneo.

O melhor tratamento, nesse caso, é a aplicação de toxina botulínica, uma substância que atua na força muscular, diminuindo a tensão sob a pele.

Flacidez

Caracterizada pela falta de tonicidade da cútis ou do músculo, a flacidez pode ser causada por fatores ambientais, genéticos ou de comportamento (má alimentação e falta de exercícios físicos).

O grupo com maior propensão ao problema são os idosos, já que há grande perda muscular e aumento de gordura na idade mais avançada. No entanto, pessoas jovens também podem desenvolver flacidez muito facilmente (por exemplo, em casos de emagrecimento muito rápido).

Em termos de alternativas de tratamento, podemos citar o laser CO2 fracionado, a radiofrequência, o preenchimento e a Indução Percutânea de Colágeno com Agulhas – IPCA . No pescoço, no rosto, no abdome, na parte interna de coxas e braços, no glúteo, podemos indicar a aplicação de ácido polilático, um agente que estimula a produção de colágeno, com melhora da flacidez e da sustentação da pele.

Outros sinais do envelhecimento

De todos os órgãos presentes no corpo humano, a cútis é o que mais reflete os efeitos da passagem do tempo. No entanto, esse processo não acontece somente internamente – é importante lembrar que esses efeitos podem ser potencializados por alguns hábitos e comportamentos nocivos.

Esses fatores dividem o envelhecimento da pele em dois tipos:

  • intrínseco ou cronológico: decorrente do avanço da idade, causa a diminuição da espessura da pele e o ressecamento cutâneo; sem a interferência de agentes ambientais.
  • extrínseco: provocado por agentes externos, como uma alimentação errada, pelo estresse fisiológico e físico, pela exposição ao sol sem proteção, entre outros. Isso pode levar a  mais manchas, flacidez, pintas e sardas.

Para deixar a pele mais jovem, de modo geral, os tratamentos que podem ser utilizados variam entre peelings, luz intensa pulsada, aplicação de laser, toxina botulínica, ácido hialurônico, ácido polilático, radiofrequência, preenchimento e a Indução Percutânea de Colágeno com Agulhas – IPCA .

Estrias

Quando as fibras elásticas e colágenas da cútis se rompem, deixam uma espécie de cicatriz (rosada ou esbranquiçada) que chamamos de estria.

Os lugares mais comuns em que essas marcas surgem são: coxas, nádegas, abdômen e costas. Elas são causadas, geralmente, pelo estiramento excessivo ou repentino da pele, o que desencadeia uma inflamação e leva à ruptura das fibras. A adolescência, a gravidez, o aumento dos músculos por exercícios físicos exagerados e a obesidade são exemplos de situações que podem provocar essas lesões.

Dentre os tratamentos mais conhecidos estão a radiofrequência, o microagulhamento (ou Indução Percutânea de Colágeno com Agulhas – IPCA) e alguns tipos de laser. O ideal é que o procedimento seja realizado quando as estrias ainda estiverem em seu estágio inicial (na cor rosada), para que o resultado seja mais satisfatório.

Cicatrizes

Decorrentes de acne, cirurgias ou acidentes, as cicatrizes incomodam muitas mulheres que se preocupam com a aparência. A cicatrização ocorre para que a cútis se cure do trauma sofrido e recupere os tecidos lesados. Às vezes, no entanto, quando esses tecidos crescem além do que deveriam, o processo pode evoluir para um queloide.  

Para resolver o problema, os tratamentos que têm mostrado bons resultados são o peeling químico, o microagulhamento (ou Indução Percutânea de Colágeno com Agulhas – IPCA) e alguns tipos de laser. Já no caso dos queloides, é necessário conversar com um dermatologista para discutir a melhor alternativa, de acordo com o tipo de pele.

Olheiras

Diferentemente do que muitos acreditam, as olheiras não têm necessariamente ligação com uma noite mal dormida. Quando as manchas escuras abaixo dos olhos e nas pálpebras são recorrentes, a hereditariedade pode ser a origem do problema. Pode haver uma combinação de fatores causais, como o excesso de pigmentação (efeito acastanhado), alteração do componente vascular (efeito arroxeado) , flacidez e bolsas de gordura ou de retenção de líquido, assim como deve ser avaliado um  efeito de sombra, que pode agravar de acordo com a conformação anatômica individual de profundidade do sulco abaixo de olheira.

A cor característica das olheiras é causada pela dilatação dos vasos sanguíneos ou por um depósito de melanina na região.

Para suavizá-las, é possível optar, de acordo com o tipo de olheira,  por um preenchimento com ácido hialurônico  ou/e aplicação de laser específico.

Como você viu aqui, existem diversos tratamentos que podem te auxiliar a ter uma pele mais jovem. No entanto, é importante que você marque uma consulta com um dermatologista capacitado para que a sua situação seja discutida individualmente, considerando vários fatores.

A cútis é um órgão muito sensível e complexo, e somente um profissional pode dizer o que é melhor em cada caso.  

Dra. Ana Paula Takeuchi

Dra. Ana Paula Takeuchi

Dra. Ana Paula Takeuchi é médica formada na Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP). Fez residência médica em Dermatologia no Hospital das Clínicas da FMUSP.

1
Olá! Posso te ajudar com alguma dúvida sobre agendamento de consultas?
Powered by