Dermatologia

Tudo o que você quer saber sobre peelings faciais

peeling facial

Muitas mulheres não medem esforços quando o objetivo é deixar a cútis mais bonita e rejuvenescida. São diversos os tratamentos existentes, dos mais leves aos mais invasivos, e a escolha se baseia, entre outros fatores, no tipo de pele e no objetivo a ser atingido.

O peeling facial, que é traduzido do inglês como “descamação”, é um procedimento que visa a renovação celular. Desse modo, ele remove as camadas mais superficiais da cútis, deixando-a mais uniforme e vistosa.

Ele pode ser encontrado em duas modalidades: físico e químico. Cada um possui mais de uma forma de realização, além de benefícios, cuidados e contraindicações específicos.

Abaixo, traremos os pontos mais importantes sobre o tema para que você usufrua ao máximo do que o peeling facial tem a oferecer.

Peeling físico

No peeling físico, são utilizados agentes indutores de descamação, que promovem bons resultados na pele ao estimular a produção de colágeno e a renovação celular.

Ele é indicado, principalmente, para tratar fotoenvelhecimento, cicatrizes superficiais, alterações na pigmentação e rugas finas.

Lixas e cremes abrasivos são exemplos caseiros dessa técnica, pois removem as células mortas de maneira sutil e diminuem a oleosidade.

No consultório do dermatologista, são usados aparelhos de microdermoabrasão, que regulam os níveis de esfoliação sob pressão assistida. O procedimento pode ser feito de duas formas:

  • peeling de cristal: são jateados microgrânulos de hidróxido de alumínio no tecido cutâneo, provocando a erosão das primeiras camadas da pele;
  • peeling de diamante: é realizado com uma espécie de caneta que possui uma lixa diamantada na ponta.

O peeling facial que utiliza microdermoabrasão é considerado seguro, minimamente invasivo e sem efeitos colaterais significativos. Pode ser feito em qualquer época do ano e em todos os tipos cutâneos.   

A única desvantagem do peeling físico é o fato de ele não promover melhorias em rugas e cicatrizes mais profundas. Em contrapartida, possui raras e pontuais contraindicações, como uma infecção viral ou bacteriana em andamento.

Peeling químico

No peeling químico, a aplicação de agentes visa a destruição da camada mais externa da pele para que ela se regenere e retorne com uma aparência melhor.

Esse tratamento é indicado para atenuar rugas, manchas e cicatrizes, além de diminuir lesões como queratoses actínicas e auxiliar no combate à acne.

Ele pode ser realizado de modo superficial, médio e profundo, dependendo do nível do problema a ser melhorado. Veja:

  • peeling superficial: promove, de maneira pouco invasiva, uma suavização de linhas finas e do aspecto geral da cútis. Neste procedimento, que deve ser dividido em várias sessões, costumam ser utilizados agentes como ácido salicílico, solução de Jessner e ácido glicólico. O tempo de recuperação varia entre um e quatro dias.
  • Peeling médio: através do uso de, por exemplo, ácido tricloroacético (ATA) e fluorouracil (5-FU), combinados com o emprego de outras substâncias, a técnica possibilita um tratamento mais eficiente para marcas da idade e até para áreas propícias a um câncer. É feito em uma única sessão, e a cicatrização da pele começa 24 horas após o procedimento e termina entre sete e 15 dias depois.
  • Peeling profundo: neste peeling facial de somente uma aplicação, o agente mais utilizado é o fenol, recomendado apenas para casos mais extremos de envelhecimento cutâneo. Devido aos possíveis efeitos colaterais, uma avaliação cardiológica é exigida. A cicatrização acontece como na versão média.

Por se tratar de um procedimento mais agressivo, existem algumas contraindicações, como gravidez, fototipo alto, exposição solar, presença de alguma ferida na pele e estresse físico ou mental.

Em contrapartida, ele oferece um resultado mais visível e duradouro.

Cuidados após a realização de um peeling facial

Independentemente de qual peeling facial seja feito, é imprescindível que os cuidados após a aplicação sejam intensos.

Como a cútis fica mais sensível, é importante hidratar-se muito e usar cremes antioxidantes e clareadores. Eles auxiliam na recuperação e minimizam os sintomas que podem surgir, como irritabilidade.

A utilização de filtro solar, mesmo em dias nublados, é obrigatória, visto que ele cria uma camada protetora contra queimaduras e manchas. Inclusive, é recomendado que não haja exposição da pele ao sol nos dias posteriores à realização do procedimento, já que o tecido cutâneo estará mais fino e frágil.

Cada peeling facial possui suas especificações e indicações, por isso, é essencial passar por uma avaliação com um médico dermatologista.

Ele poderá sugerir o tratamento ideal, baseando-se em seu tipo de pele e em sua saúde como um todo. Além disso, fará um acompanhamento para que o resultado seja o mais satisfatório possível.

Dra. Ana Paula Takeuchi

Dra. Ana Paula Takeuchi

Dra. Ana Paula Takeuchi é médica formada na Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP). Fez residência médica em Dermatologia no Hospital das Clínicas da FMUSP.

1
Olá! Posso te ajudar com alguma dúvida sobre agendamento de consultas?
Powered by