Fisioterapia

5 benefícios da fisioterapia na gestação

fisioterapia na gestação

A gravidez é um período de diversas transformações na vida de uma mulher. Além dos altos e baixos psicológicos e emocionais, as mudanças no corpo e o aumento de peso podem gerar desconfortos, dores e até limitações de movimento.

Para que tudo isso não acabe dificultando a realização de atividades antes consideradas corriqueiras, a fisioterapia na gestação surge como uma ótima opção de exercício físico dentro dos cuidados que devem ser tomados ao longo desse período.

A fisioterapia na gravidez, também chamada de fisioterapia obstétrica, consiste em exercícios globais para melhorar a percepção corporal (alongamentos, relaxamentos, de flexibilidade e correção de posturas), além dos específicos para a região pélvica. Eles podem tornar o tempo gestacional menos doloroso e, ainda, preparar o organismo para o parto.

Abaixo, destacamos os principais benefícios da prática dessa atividade, que, além de auxiliar a mulher, acaba favorecendo o desenvolvimento do bebê.

Razões para fazer fisioterapia na gestação

1- Proporciona bem-estar à gestante

Ao longo da gravidez, é normal que a futura mãe retenha mais líquido devido às alterações hormonais que aumentam o volume sanguíneo circulante, além da pressão do útero sobre os vasos, o que gera um déficit no retorno venoso.

A fisioterapia na gestação conta com exercícios que ativam a circulação, reduzindo os inchaços que acometem, principalmente, as pernas e os pés. Isso proporciona um grande bem-estar e mais qualidade de vida.

A prática evita, ainda, que a mulher tenha dores nas articulações, que podem surgir por causa desses inchaços. Assim, seus movimentos não serão limitados e suas atividades diárias não serão prejudicadas.

2- Melhora a postura

Conforme a barriga vai crescendo, ela vai criando um peso a mais e, por isso, a tendência é que a grávida passe a caminhar um pouco curvada para trás. Essa ação pode levar a dores intensas, principalmente na lombar.

Os exercícios de fisioterapia na gestação ajudam na manutenção e no equilíbrio das regiões musculares que ficam sobrecarregadas nesse momento, fazendo com que a mulher consiga se manter ereta sem muitos desconfortos.

Além disso, eles evitam outros problemas mais graves de coluna que podem se tornar crônicos após o nascimento do bebê.

3- Reduz as chances de problemas gestacionais

A prática minimiza as possibilidades de a mulher ter alguma das doenças que costumam acometer as grávidas, como hipertensão gestacional e diabetes.

Auxilia, também, na redução do estresse, que pode levar até a um aborto, e controla o excesso de ganho de peso, que pode causar baixa autoestima e depressão.

4- Auxilia na preparação para o parto normal

A fisioterapia na gestação possui um papel importante na preparação para o parto normal, pois proporciona a percepção, coordenação e o controle dos músculos do assoalho pélvico, que fica sobrecarregado e enfraquecido durante este período pelas alterações hormonais e pelo aumento no peso do útero.

O objetivo é realizar, com controle e coordenação, o relaxamento do períneo durante o período expulsivo.

Os exercícios de respiração também são fundamentais, nesse caso, porque fazem com que a mulher vivencie previamente algo que terá que executar no momento do nascimento.  

5- Melhora o processo de recuperação no pós-parto

Independentemente do tipo de parto pelo qual a grávida tenha optado, sugere-se a fisioterapia pós-parto para que o corpo se recupere não apenas esteticamente, mas também em sua estrutura, reduzindo dores e desconfortos.

Por isso, a musculatura abdominal é trabalhada, de forma específica e diferenciada para esse período da mulher, a fim de fazer com que ela retorne à sua normalidade o quanto antes. Além disso, o assoalho pélvico recebe uma atenção especial por causa de algumas disfunções que podem vir a surgir, como a incontinência urinária e distúrbios sexuais.

A fisioterapia contribui, ainda, para elevar a confiança da gestante, diminuir os riscos de depressão pós-parto e favorecer seu retorno à rotina após os meses de licença maternidade.

Todas as grávidas podem praticar fisioterapia na gestação?

Mesmo que esse seja um exercício direcionado às grávidas, é fundamental que cada uma seja avaliada individualmente por um fisioterapeuta especializado e pelo obstetra.

Eles levarão em consideração seus antecedentes familiares, o histórico da gestação, suas condições posturais e físicas e se ela passa por algum tipo de situação de risco.

Após essa análise e a autorização médica, o fisioterapeuta indica exercícios específicos para os objetivos e necessidades de cada mulher.

De qualquer forma, a prática da fisioterapia na gestação deve iniciar somente depois do segundo trimestre, pois os primeiros meses são mais críticos em relação ao desenvolvimento do bebê.

Larissa Yokoyama

Larissa Yokoyama

Larissa Yokoyama é graduada em Fisioterapia, no ano de 2005, pela Universidade Cidade de São Paulo. Especializada pela Universidade Federal de São Paulo em Fisioterapia no ciclo gravídico-Puerperal.

1
Olá! Posso te ajudar com alguma dúvida sobre agendamento de consultas?
Powered by