Dermatologia

Conheça os efeitos do sol na pele

efeitos do sol na pele

Fotoenvelhecimento – é o termo usado para definir o envelhecimento causado pelo sol. Ou seja, são as marcas que surgem na pele devido à exposição aos raios ultravioleta e à falta de cuidados para se proteger.

Diferentemente do envelhecimento natural da cútis, que vem com a idade, o fotoenvelhecimento pode ser prevenido.

Assim, mudando alguns hábitos e adotando medidas simples, é possível evitar que os sinais iniciem precocemente, principalmente se você começar antes mesmo dos 18 anos (quando já absorvemos entre 50% e 80% da radiação solar de toda a vida).

Além disso, já existem tratamentos muito eficazes que minimizam os efeitos do sol na pele, desde que realizados de forma adequada e por profissionais certificados.

Tipos de envelhecimento cutâneo

O envelhecimento cutâneo é um processo natural e irreversível em que ocorrem alterações funcionais e estruturais em todas as camadas da pele.

Há dois tipos de envelhecimento:

  • intrínseco: é o chamado envelhecimento natural ou cronológico, ocasionado pela idade e por todas as transformações pelas quais o organismo passa ao longo dos anos. Ele é inevitável, ou seja, não é possível controlá-lo, e está diretamente ligado à genética individual. As principais mudanças sentidas são ressecamento, surgimento de rugas, perda da elasticidade e alteração na pigmentação;
  • extrínseco: é aquele que resulta de fatores externos. Portanto, pode ser evitado e prevenido. É nessa categoria que se insere o fotoenvelhecimento, já que ele se baseia nos efeitos do sol na pele. Envolve, ainda, outras condições bastante prejudiciais, como a poluição, o tabagismo e a alimentação desequilibrada.

Principais efeitos do sol na pele

Dentre os fatores externos que fazem mal à cútis, o envelhecimento causado pelo sol é o que atinge um percentual maior de pessoas.

Apesar de os raios solares serem fonte de vitamina D e, portanto, um aliado da saúde dos ossos, a exposição deve ser controlada. Isso porque, em excesso, os raios UV penetram nos tecidos e danificam as fibras de colágeno.

Quando se é jovem, o organismo consegue se recompor mais facilmente desses efeitos do sol na pele, ao menos aparentemente. O problema é que os estragos, na verdade, são cumulativos e só serão percebidos algum tempo depois.

Desta forma, o fotoenvelhecimento leva ao surgimento de manchas e rugas, a uma cútis mais seca e áspera e, ainda, a lesões que podem evoluir para um câncer.

Graus de fotoenvelhecimento

efeitos do sol na peleO envelhecimento causado pelo sol pode ser classificado em quatro graus distintos, que variam conforme a faixa etária e o nível dos danos. É a chamada escala de Glogau:

  • grau I: é o envelhecimento suave, quando há discretas alterações na pigmentação, poucas rugas e raras lesões na pele. Acontece entre os 20 e os 30 anos;
  • grau II: é o estágio moderado do fotoenvelhecimento, que atinge pessoas entre 30 e 40 anos. Nesta fase, as manchas precoces ficam visíveis e aparecem ceratoses palpáveis, a linha nasolabial e algumas discretas cicatrizes de acne;
  • grau III: aqui, o envelhecimento causado pelo sol é mais avançado. A cútis conta com manchas e ceratoses mais aparentes e rugas sem qualquer movimento facial. Ocorre na faixa entre os 50 e os 60 anos;
  • grau IV: é o nível grave de fotoenvelhecimento, em que há pele cinzenta, lesões malignas e rugas disseminadas. Acomete, geralmente, pessoas entre 60 e 70 anos.

Previna e trate o envelhecimento causado pelo sol

A boa notícia é que é possível prevenir e tratar os efeitos do sol na pele através de cuidados muito simples.

A principal maneira de evitá-los, em primeiro lugar, é o uso diário de protetor solar, preferencialmente com FPS igual ou acima de 30 e com reaplicações do produto ao longo do dia. Essa prática possui a capacidade de impedir o surgimento de diversas lesões, como rugas, linhas de expressão e manchas.

O envelhecimento causado pelo sol também pode ser prevenido com a utilização de chapéu ou boné e óculos escuros.

As formas de tratamento são muitas. Cremes à base de vitaminas C e E, por exemplo, são antioxidantes, neutralizam os radicais livres, aumentam a elasticidade e a firmeza da cútis e reduzem a produção de melanina.

Medicamentos com ácidos, como o glicólico, e clareadores, como a hidroquinona, melhoram as manchas, dão uniformidade à pele e corrigem o ressecamento.

Há, ainda, os procedimentos realizados em consultório, como peelings químicos, microagulhamento, aplicações de laser e a terapia fotodinâmica. Eles costumam ser mais eficazes a curto prazo em relação à harmonização da cútis e ao rejuvenescimento como um todo.

Agende uma consulta com um dermatologista para que ele avalie sua pele e indique a melhor maneira de suavizar o envelhecimento causado pelo sol.

Dra. Ana Paula Takeuchi

Dra. Ana Paula Takeuchi

Dra. Ana Paula Takeuchi é médica formada na Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP). Fez residência médica em Dermatologia no Hospital das Clínicas da FMUSP.

1
Olá! Posso te ajudar com alguma dúvida sobre agendamento de consultas?
Powered by