Cirurgia de Cabeça e Pescoço

Câncer na laringe: por que o cigarro é vilão nessa história?

câncer na laringe

O cigarro é considerado uma das drogas mais prejudiciais à saúde, afinal, ele contém uma quantidade enorme de substâncias tóxicas e cancerígenas.

Dentre os órgãos mais afetados pelo tabagismo, a laringe se destaca por apresentar sintomas que são, inclusive, perceptíveis, como a alteração na voz.

Ainda assim, o câncer na laringe é a consequência mais preocupante. Para se ter uma ideia de o quanto cigarro e laringe não combinam, fumantes possuem dez vezes mais chance de desenvolver esse tipo de tumor.

Os malefícios do cigarro

Há alguns problemas bastante corriqueiros causados pelo fumo, como rouquidão, engrossamento da voz, tosse e pigarro. Eles ocorrem porque o tabaco pode gerar inflamação nas cordas vocais, levar ao acúmulo de elementos nocivos no pulmão e alterar a superfície das vias aéreas.

Além disso, o tabagismo pode originar disfunções no sistema respiratório, como bronquite, pneumonia e asma, visto que é justamente aí onde há a absorção de substâncias pelo corpo.

Sabe-se, também, que o cigarro pode causar o surgimento de tumores malignos em várias partes do organismo. Um exemplo, como já mencionamos, é o câncer na laringe.

Ele é mais frequente em homens – por ano, são cerca de 18 mil casos diagnosticados no Brasil ao todo. Inclusive, é importante entender que, mesmo quem não tenha predisposição genética à doença, pode desenvolvê-la devido ao fumo.

Os maiores inimigos da laringe

Associar o tabagismo ao consumo de álcool é considerado ainda mais prejudicial à laringe.

Se o cigarro, sozinho, eleva dez vezes a possibilidade de crescimento de um tumor, quem concilia esse vício com bebida alcoólica possui 43 vezes mais chance de ter câncer na laringe.

Isso acontece porque o álcool facilita a penetração das substâncias tóxicas na mucosa. Além disso, pessoas que bebem muito tendem a se alimentar mal e a ter menos cuidado com a higiene oral, ficando mais vulneráveis.

Benefícios gerais ao parar de fumar

Um grande incentivo para quem está tentando parar de fumar é a rápida melhora na qualidade de vida.

Para se ter uma noção, em somente 72 horas, já é possível notar uma evolução na capacidade respiratória. Em até nove meses, a tosse diminui (quando não some) e a função pulmonar se eleva em 10%.

Os riscos de doenças também vão reduzindo conforme os anos passam. Após um ano, a chance de infarto cai pela metade e, depois de seis anos sem cigarro, a probabilidade de um tumor na garganta é minimizada.

O dado mais impressionante, no entanto, é o que ocorre após 15 anos sem tabaco: a possibilidade de infarto e de desenvolver câncer na laringe se equivale a de alguém que nunca fumou.

Previna-se do câncer na laringe

Está claro que cigarro e laringe são inimigos. Pode-se dizer, portanto, que o primeiro passo para quem busca prevenir um câncer na laringe seja abandonar o vício imediatamente.

Junto a isso, é preciso investir em uma alimentação balanceada, além de evitar os fatores de risco, principalmente o álcool.

Lembre-se de que é importante procurar um médico especializado para que o diagnóstico correto seja realizado e as providências adequadas para tratar o problema sejam tomadas.

Guia da Mulher Adulta Download Powered by Rock Convert
Dr. Jorge Kim

Dr. Jorge Kim

Dr. Jorge Kim é formado pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP), fez residência médica em Cirurgia de Cabeça e Pescoço no Hospital das Clínicas da FMUSP e foi Preceptor (chefe dos residentes) na Disciplina de Cirurgia de Cabeça e Pescoço do HC-FMUSP.

1
Olá! Posso te ajudar com alguma dúvida sobre agendamento de consultas?
Powered by