Endometriose: quais os exames que podem constatar esta doença?

 In Ginecologia e Obstetrícia

A endometriose pode causar sintomas de dor em diversos locais e situações: no útero, no intestino, na bexiga, na relação sexual, nos músculos da pelve, em nervos da pelve ou em outro local em que ela estiver. Porém, nem sempre a quantidade de endometriose é proporcional a dor que ela pode causar. Justamente por isso, é um dos diagnósticos mais difíceis de se fazer. E é também por este motivo que a experiência do profissional que irá investigar os sintomas conta muito.

O primeiro passo da investigação é uma boa conversa com o ginecologista. Muitas vezes os sintomas de dor, dependendo da localização e de quando eles aparecem, já podem levantar a suspeita. Os sintomas nos órgãos que estão próximos ao útero – como na bexiga e intestino – também podem ser indícios.

Após a conversa, o exame físico ginecológico pode mostrar pontos dolorosos da pelve que imitam as dores que a paciente sente por causa da endometriose. Esses pontos dolorosos podem ser locais de focos de endometriose profunda.

Nem sempre os sintomas e os achados de exame físico são suficientes para detectar essa doença. A maioria das vezes essas lesões passam desapercebidas em exames de ultrassonografia de rotina, pois a maioria dos casos de endometriose não causam muitas alterações nas imagens. Por isso, em casos suspeitos há necessidade de fazer exames específicos e direcionados para a endometriose.

Existem dois exames principais para investigação: a ultrassonografia transvaginal e a ressonância magnética de pelve. Ambos com preparo intestinal: precisam de uma limpeza do intestino, pois sem isso fica mais difícil identificar endometriose. Através desses exames é possível determinar com uma certeza maior se a suspeita é de endometriose e onde estão localizadas as lesões. Isso é fundamental para a programação de tratamento, além do acompanhamento ao longo dos anos.

Em alguns casos somente se consegue fazer o diagnóstico com a vídeo-laparoscopia, que é uma cirurgia na qual é injetado gás carbônico no abdômen, e através de pequenos cortes se introduzir uma câmera e as pinças cirúrgicas. Nesse procedimento pode-se fazer o diagnóstico, já realizar o tratamento das lesões e coletar amostras para biópsia. Contudo, para casos de endometriose avançada, o diagnóstico preciso de quais órgãos estão comprometidos por endometriose é muito importante para o planejamento da cirurgia e segurança da paciente.

 

*Dr. Tomyo Arazawa é ginecologista e obstetra e especializou-se em cirurgias robóticas, video-laparoscópicas e video-histeroscópicas (os quais incluem as cirurgias de endometriose), e em medicina reprodutiva. É membro da Sociedade Paulista de Ginecologia e Obstetrícia (SOGESP), da American Society for Reproductive Medicine (ASRM), da American Association of Gynecologic Laparoscopists (AAGL) e da International Pelvic Pain Society (IPPS).

Recommended Posts